sexta-feira, 12 de junho de 2015

O Pastorzinho- Uma Biografia não autorizada

O pastorzinho- Uma biografia não autorizada
Angela Carneiro
Havia um pastorzinho muito pobre que andava a pastorar. Sua mãe estava doente, era o pastorzinho que cuidava de tudo, mas sua mãe precisava de exames caros, de remédios. O pastorzinho tinha uma namorada. Os dois se amavam muito. E a moça engravidou. Ah! Mas eles não tinham condições de terem aquele filho. Eram jovens, mal tinham o que comer e ainda havia a mãe doente. Assim, com muito sofrimento, com muita dor, a moça , por amor ao seu pastorzinho avisou que tinha tomado umas ervas e que não haveria mais filho. Ambos choraram muito. Por conta dessas ervas , a moça acabou morrendo. O pastorzinho, então, saiu de sua casa e se pôs a tocar do ré mi fá fa fá, do ré do ré ré ré...
Enquanto isso, o Rei andava muito irritado. Nada o deixava feliz. Não dormia, e isso o irritava ainda mais. Os médicos reais já tinham tentado de tudo. Nada dava certo.  Um dia o vizir caminhando pelas terras ouviu a flauta do pastorzinho.. do sol fá mi mi mi...
-oH! Que lindo som! Certamente isso vai agradar ao rei!
Aproximou-se do pastor e o convidou pra tocar para o rei, e o pastor, que era muito bom, aceitou. O Rei ao ouvi-lo teve lágrimas de emoção e dormiu pela primeira vez em muitos meses. Acordou revigorado e chamou o pastor novamente:
-Dar-te-ei tudo o que vês se tocares para mim.
-Agradeço, mas não posso, tenho uma mãe doente e ela está na fila para um transplante e..
-Cale-te! Se você me seguir, me obedecer, nada mais vai faltar para sua mãe. Ela terá amanhã mesmo os melhores médicos!
Dito e feito. No dia seguinte, ninguém sabe como, o nome da mãe do pastor passou para o primeiro lugar na fila, ela fez a cirurgia, o pastor tocava para o rei agradecido.
-O senhor foi muito bondoso, ó meu rei. Poderei agora voltar às minhas cabras e tocar para minha aldeia, agradeço por tudo.
-Não senhor! Você não precisa mais ser pastor.  Já marquei várias festas aqui no palácio, todos conhecerão sua arte..
-Mas senhor..
- Nem mais nem menos, você será um sucesso.
Dito e feito. O pastor tocava todos os dias para públicos mais seletos. Príncipes de todas as terras vinham ouvi-lo, e, até mesmo seus  aldeões, uma vez ao ano , podiam ouvi-lo na praça. Claro que o pastor ficava cansado, mas os me´dicos reais o enchiam de poções revigorantes. Assim se estivesse cansado, uma poção o fazia vibrar. Se estivesse  excitado demais, uma outra o fazia dormir.  Eram tantos os compromissos que muitas vezes nem mesmo sabia  em que reino estava.
Pelas ruas via-se camisetas com seu nome, bonecos com seu rosto, e agora sua flauta não era mais feita por ele. Havia uma nova com seu nome escrito que poderia ser vendida em várias feiras. De ouro, prata, junco, todas com seu nome.
Muitos outros flautistas surgiram copiando seu estilo.

- Senhor, disse o pastor, ouça só essa nova música que compus. Não aguento mais tocar as mesmas..
O rei replicou: não, fique quietinho, não mude. Mas não se preocupe, já contratei outros compositores para você. E você tocará também nas praças uma música para anunciar as taças reais que estou colocando à venda.
-Mas... –
-Claroq eu você vai ganhar uma porcentagem da venda das taças, e sua mãe está boa, não está? Continua com os médicos? Aliás, e aquela mocinha.. soube que ela está gravida.
-Sim vamos ter umf ilho, um menino!
-Que ótimo. E agora você terá mais condições em ter os melhores mestres de tudo, equitação tudo!
Os anos passavam, o povo vibrava a cada apresentação do pastorzinho, seu filho já era um rapaz e o pastorzinho estava velho. Ainda tocava mas não com a mesma força. Eram tantos os remédios..
O Rei encomendou um livro sobre a vida do pastor, depois viraria filme. Seria lançado com grande pompa. Quando o pastorzinho o leu ficou horrorizado:
- Mas  não devem contar que minha amada fez um aborto! Isso é particular!
-Ah, mas seus fãs vão adorar!
- Mas doi muito lembrar disso. E meu filho não sabe que fui preso e apanhei quando eu tinha a idade dele, nunca disse a ele! Eu paguei a minha dívida.
-Ah, mas o povo tem o direito de saber!
- E isso aqui é mentira, nunca bati em mulher!
- Não tem importância, quando o livro for lançado você processa o autor . Vai ser muito bom para as vendas
-Mas até lá todos vão achar que eu bati! Eu vou ser apedrejado, e o que meu filho vai passar na escola?

-Não se preocupe com isso.. afinal você está velho... eu já durmo bem.. bem demais...  tlin, tlin tlin...

Nenhum comentário:

Postar um comentário