domingo, 14 de outubro de 2012

É proibido envelhecer?

Comecei minha vida profissional como Orientadora Educacional. Eu tinha 20 anos e já lidava com jovens do 2º grau praticamente da mesma idade. Uma de minhas colegas de trabalho era uma senhora que fazia algum esforço para aparentar mais jovem. Pintava o rosto e  os cabelos. Veja, não era para ficar mais bonita, e sim mais jovem . ‘As vezes a tentativa não lhe caía bem, certas presilhas coloridas nos cabelos coloridos. Um dia ela me disse: eu tento aparentar mais jovem pois os jovens não respeitam os velhos. 

Aquilo me espantou. Apesar de eu estar vivendo a época do “não confie em ninguém com mais de 30” não rejeitaria alguém por causa de suas rugas. 
Já naquela época me parecia que envelhecer era uma opção bem mais legal do que a outra: a morte. 

O tempo passou, e hoje os jovens que cantavam “não confie em ninguém com mais de 30” se esmeram em tal aparência. Marcos Vale, por exemplo, ainda quer ser surfista inventando um despenteado que disfarce a careca. Está até mais bonito do que era quando jovem.  Ouço, também, uma antiga cantora da jovem guarda falar de seu esforço, pois, segundo ela, só ela e a gretchen eram chamadas para aparecer na TV. Para a produção da tv,  o resto do povo da Jovem Guarda estava velho demais.  
E assim, nossos artistas vão fazendo uns ninhos de marfagafos em seus cabelos tampando calvices, pois aqui é proibido envelhecer. Frank Sinatra não passou por isso.  Foi envelhecendo, engordando, encarecando e cantando. 

Mas aqui é proibido. Não que lá seja muito diferente, vejam o Tom Jones, ou o que aconteceu com Meg Ryan.  E, o pior, é que estamos tão acostumados ao visual das plásticas que já estamos achando bonitos rostos inflados, brilhantes  e esticados!  

Bem, vai haver uma exposição em homenagem ao Roberto Carlos. Os leitores de O Globo que se dão ao trabalho de opinar, todos, sem exceção, no dia em que li, todos ofendiam o cantor por ser um maracujá de gaveta. Quer dizer, além de burros , nota zero em criatividade. Eles não se queixavam do fato de suas canções serem antigas, fora de moda. Não! se queixavam do fato dele ser velho! Como se envelhecer fosse proibido. 

Envelhecer lembra ao abestado que ele também vai envelhecer, é verdade, mas não é só isso. Envelhecer não é bom para os negócios. O lance é o novo! o último modelo de celular! o carro último tipo! o lançamento! Se um carro velho for bom, for admirável, ninguém comprará o novo. 
Quer vender algo? coloque na sua propaganda as palavras “exclusivo” “novo” e sinta-se rico. ah, mas não é novo? então diga “agora em nova embalagem”. 

Infelizmente a falta de classe, de educação, de respeito, não são novidades. 
Sempre existiram. Só que agora o acesso ‘a internet nos aproxima a tais atitudes, mais do que antigamente. 

Ofender é necessariamente ignorância. Ofender é demonstrar falta de argumentos, ausência de reflexão. Ofender é infantil no mau sentido. A primeira coisa que uma criança faz ao se perceber indivíduo é sair falando mal. Acham-se adultos quando reclamam que um efeito especial foi mal feito em algum desnho animado de superherói. Assim, demonstram que pensam, refletem. Reconhecer a falha para eles basta. Muitos não crescem e além de saírem por aí apontando os ciscos nos olhos alheios não se perguntam o motivo de haver o tal cisco no olho, se é poluição, se é desleixo, quem ganha com isso , o que fazer etc. 
São os covardes que se escondem na proteção da distância física. São os zero na sociedade que ganham alguma notoriedade ao escreverem num blog de jornal. Invejosos do talento, apreciadores da modinha, só daquilo que a indústria coloca no Faustão. E só gostam do faustão porque ele ainda está na TV. Se sair, coitado. Não volta mais. Pelo menos para os jovens. Vai ter de disputador público  mais velho. E quem  é que aguenta ouvir "o lôco" ? Só jovem mesmo pra dar conta, pois ainda não viveu muito. 

Então, já que acham que o Roberto por ser velho merece o ostracismo, desejo a eles que não envelheçam. Nunca! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário